Super Bowl LIV - Uma das jornadas mais heroicas da história do esporte


Segundo quarto de Chiefs vs Texans pelo Wildcard da NFL, os visitantes venciam por um chocante placar de 24-0. Tudo estava dando errado para Patrick Mahomes, Andy Reid e seus amigos. Tudo mesmo: turnovers e time sem conseguir nada em campo na frente de sua torcida.  

Antes do intervalo, já havia gente indo embora do estádio. Esse cara provavelmente já virou um personagem importante dessa história: Depois do primeiro quarto avassalador, o Kansas City Chiefs acordou para o jogo e anotou uma sequência absurda de Touchdowns e venceu com uma larga vantagem de pontos no final.

Foi uma virada épica, mas que demonstrava uma fragilidade defensiva enorme do vencedor daquela noite. Naturalmente,  se colocava em Xeque sua possibilidade de chegar ao Super Bowl, até porque viradas como essa não são muito frequentes em PlayOffs. 

Na semana seguinte, contra os Titans, o roteiro foi muito parecido. Titans jogando o fino da bola e colocando uma vantagem grande contra uma defesa frágil de Kansas. A diferença não era tão abissal quanto na semana anterior, foram 10 pontos estabelecidos, mas o time em vantagem era consideravelmente melhor na Offseason. 

Só que mais uma vez  a estrela do camisa 15 brilhou e conquistou a vitória carregando o time nas costas. Na final da AFC, o Quarterback de Kansas correu para um TD inacreditável de várias jardas e começou a cravar mais uma vitória inesquecível. 

Mais uma vez aconteceu a virada
Mais uma vez Mahomes tomava a responsabilidade para si
Mais uma vez víamos uma defesa frágil, que o ataque compensava em muitos pontos

Kansas City Chiefs no Super Bowl.  

O pior adversário possível estava a caminho


Estamos falando de uma das equipes mais tradicionais da NFL. Liderados pelo jovem técnico Kyle Shanahan, que foi o técnico ofensivo dos Falcons, naquele episódio da virada dos Patriots em 2017, os 49ers foram o time mais regular de toda a temporada. Era um time impecável, no ataque e na defesa.

Com o  seu QB saudável, depois de ficar uma temporada inteira de fora, a equipe de San Francisco foi o melhor time da NFC. Primeira colocação com muita justiça: Defesa infernizando QBs de toda liga, com figura principal em Nick Bosa e o ataque de excelentes recebedores: George Kittle, Deebo Samuel  e um QB que é pago como um Franchise QB: Jimmy Garoppolo.

O jogo mais emblemático da temporada regular do 49ers certamente foi contra os Packers: Um atropelo sem precedentes da defesa e um ataque afinado. Garoppolo, mesmo não convencendo como o melhor quarterback da liga, provava estar pronto para liderar a equipe na pós temporada.

Parecia questão de tempo, mas já se cravava que a equipe iria aos PlayOffs sem tantos sustos. Dito e feito: Passou pelos adversários da NFC Norte com facilidade. 

No Divisional Round, contra os Vikings, depois de um equilibrado primeiro quarto, 49ers dominou o jogo e trouxe uma vitória quase protocolar. Na final da NFC, um primeiro tempo fulminante do jogo corrido contra os Packers matou a disputa e levou a equipe de Kyle Shanahan para o Super Bowl, como esperado.

Super Bowl LIV - Um time extremamente regular vs Patrick Mahomes e Andy Reid


Muitos analistas cravavam: O Chiefs não poderia cometer os mesmos erros defensivos das rodadas passadas. E era verdade, só que o principal ingrediente para que a equipe do Missouri conseguisse a vitória seria: Mahomes inspirado contra a fortíssima defesa de San Francisco.

Um ataque mediano não era o suficiente.
Patrick Mahomes deveria fazer uma partida de MVP.
E foi o que aconteceu.

O jogo começou bem disputado, com os 2 protagonistas, Garoppolo e Mahomes, muito nervosos. Interceptação num erro crasso do QB dos 49ers e várias decisões questionáveis do futuro MVP da partida.

Era normal, os 2 fazem parte da nova geração e jamais foram titulares em Super Bowl. Com os minutos passando, os quarterbacks estavam mais a vontade, e dentro da características dos times terminaram o primeiro tempo empatados: 10-10.

Foi no terceiro período que a maré virou contra os Chiefs. Mahomes interceptado, Touchdown San Francisco e Kyle Shanahan estava muito próximo da taça.

Foi então que brilhou a estrela de Patrick Mahomes

4º período, ataque dos Chiefs em uma 3ª para 15 jardas na linha de 35 jardas da defesa, faltando 7:13 para o fim do jogo. 20-10 e os 49ers próximo do título.

Eu estava assistindo a final no Cinema, então pensei "bom, pro Chiefs ganhar basta o Mahomes tirar um elefante da cartola". Aí que veio um passe extraordinário do camisa 15, deixando seu time há poucas Jardas do Touchdown.

A reação foi inevitável. Foram 21 pontos consecutivos dos Chiefs e mais uma virada absurda da equipe de Andy Reid. Mais uma.

Surreal.

A caminhada heroica


O Chiefs como time é pior que os 49ers. Não é uma enormidade, mas é uma diferença considerável. Mas o QB é o grande diferencial desse esporte.

Não que o Garoppolo seja um quarterback ruim. Ele na temporada inteira mostrou que é um grande jogador, e foi bem na maior parte do Super Bowl. Você marcar 20 pontos em Super Bowl em várias situações lhe dá a vitória.

Mas, ao que parece, a pressão extrema não fez bem. Na possível campanha da vitória, um erro de movimento custou um passe errado em profundidade ao recebedor sozinho rumo à endzone.  

Enquanto do outro lado, temos um gênio, um dos maiores talentos dos ultimos anos, MVP na sua primeira temporada e na segunda conseguiu dar a primeira taça para o técnico mais vencedor sem título da história da liga.

A maldição do Madden foi quebrada, a seca de títulos dos Chiefs também, e principalmente: a seca de Andy Reid. 

Mahomes tem um futuro brilhante pela frente. E olha que ele só tem 24 anos. 

Super Bowl heroico.
Super Bowl LIV - Uma das jornadas mais heroicas da história do esporte Super Bowl LIV - Uma das jornadas mais heroicas da história do esporte Reviewed by Adão Filho on fevereiro 03, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário