Crítica: Homem-Aranha no Aranhaverso (SEM SPOILERS)




Aqui está. Depois de um longo período de mal humor com vários filmes, finalmente farei outro review... Sim, é outro produto da Sony, mas esse meus amigos, esse é especial. E isso pode fazer quem está lendo pensar se isso é uma crítica ou uma recomendação, eis minha resposta:



Não preciso dizer o quanto sou fã do Homem-Aranha, acho que isso ficou claro em todos os podcasts que eu falo 500 vezes do personagem, mesmo sem ele ser o assunto em questão. E quando eu vi finalmente um trailer desse longa, me deu uma aflição pra vê-lo assim que saísse que até esqueci de torrents e similares. "Quero ver no cinema, sai daqui, BitTorrent" era a única coisa que minha cabeça pensava.

Enfim, fui ver o filme na quinta, e agora vamos falar um pouquinho sobre ele.


A história é maravilhosa, não tem outra forma para colocá-la aqui. Desde o comecinho falando do Peter, as partes que falam sobre o Miles Morales e todo o seu drama de ir para a escola nova... É impressionante pensar que indiretamente, tudo à ele remete ao Peter, principalmente se você tem um apego aos desenhos do Aranha, muito dos dilemas que ele enfrenta é uma coisa que vimos em muitas histórias, dadas as devidas proporções, é claro.

Eu não posso me aprofundar muito, porque além dele ser o protagonista, assim como os outros filmes/séries/desenhos/HQs do Cabeça de Teia, se eu me aprofundar muito nas dinâmicas vida pessoal/Herói, muito spoiler será dito. Mas o ponto aqui é: O Miles é um ótimo personagem e a seja lá quem vai fazer o próximo filme, estão perdendo a chance de colocar o garoto no cinema, porque isso sim é um sucesso.

A relação do Miles com o tio dele (Aaron) também é legal, no começo eu estranhei um pouco ele aparecer bem rapidamente, porém depois eu percebi que era pra segurar pro final, ainda mais vendo como ele é o oposto do pai do Miles, sendo que ambos eram muito próximos na infância, e chega até a ser mencionado que ele e Jefferson, costumavam pichavam/grafitavam juntos.

Não entrarei muito em detalhes, mesmo sendo meio óbvio o papel do Aaron ali pra quem lê as HQs/vê animações, só que é bem legal ver — e destacar no Review  como fica subentendido que o afastamento deles fez com que ambos seguissem caminhos bem diferentes. É até triste ver uma cena já no final, você vê que eles se afastaram por motivo bem mais 'éticos' do que literalmente pelo companheirismo ter acabado.



O Rei do Crime é outro show a parte. Desde o visual até sua motivação e jeito de agir. Eu nunca tive ressalvas com ele, nem na série do Demolidor onde algumas pessoas criticam. No trailer não tinha  muito dele e isso me deu um medo, porque hoje em dia é fácil jogarem qualquer cara famoso pra antagonizar em filme de herói, já que independente da qualidade (ou a falta dela), fará o filme ter sucesso, porém nesse caso aqui, a sua busca por "final feliz" e todo o seu jeito brutal, mas ao mesmo tempo suave é brilhante. Fiquei aliviado com o final que deram a ele, e mais ainda que não o desvirtuaram de seu objetivo em nenhum momento só pra ficar mais "compreensível" o seu ponto de vista.

A Olivia Octavius também é uma grande personagem no filme. A participação dela é quase secundária, mas todos os momentos que ela aparece, você sente como a presença dela é simplesmente foda, não tem outra palavra. Ela, por ser uma cientista, é uma peça importantíssima para o plano de Wilson Fisk. A relação dela com toda a bagunça do Multiverso também é legal, ainda mais relacionado ao Peter, tem toda uma cena muito engraçada, que logo após vira uma puta cena de ação. Um pedaço dela chega a aparecer no trailer, só que o contexto é bem diferente do que pensávamos.

Quanto aos Aranhas, eu ADOREI a forma que eles dividiram certinhos, e como o design deles é tão diferente, mesmo sendo dentro daquele mundo 3D que eles montaram. O Porco-Aranha é o único 2D, porém é um chapado meio desenho antigo e não fica feio ali no meio do pessoal, afinal, ele é uma sátira, só que dessa forma ele continua sendo maravilhoso.


A única que eu confesso que não conhecia direito era a Peni Parker (SP//dr), que é outra com um visual um pouco diferente do universo em si, mas não destoa. A história dela com a armadura não me convenceu muito, só que em todo o resto, adorei a participação. O Aranha Noir eu já tinha lido algumas coisas, não me aprofundei, mas o básico eu sabia, e fiquei muito feliz como resolveram ele ali, principalmente em relação a uma cena dele "descobrindo" coisas coloridas no nosso mundo. É genial.

As versões do Peter são muito boas. A desse universo do Miles é o Homem-Aranha idealizado, todo mundo ama, o Miles se espelha nele pra tentar seguir um caminho correto como herói, e isso sem citar o quanto ele é baseado na trilogia do Sam Raimi, até algumas cenas são tiradas/satirizadas no filme. A cena em que ele o Miles se encontram é bem mais legal do que parece no trailer, principalmente pelo desfecho.

Já a outra versão, que é o Peter B. Parker, é o Spidey que tá de saco cheio. O "Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades" já encheu o saco e ele basicamente tá afim de fazer "vários nadas", como dizem por aí. O mais interessante disso tudo é que tem uma coisinha a mais nesse Peter: Ele era casado com a Mary Jane e o relacionamento acabou, e foi aí que ele meio que desistir de vez.



A relação dele com o Miles é bem complicada no começo. Não de ser só discussão, mas é que o Miles quer aprender, mas ele não quer ensinar, porque no fundo, esse Peter sabe que no final são mais derrotas do que vitórias. Ele chega até a comentar sobre essas promessas que os heróis fazem e se destroem todos para fazer algo que sequer era obrigação deles.

O humor dele também é legal, tem uma cena que ele faz piada com clichês de cientistas e sexualidade que eu ri demais. Foi um comentário suave, mas que você começa a puxar vários exemplos desses e vê que ele tá certo.

Agora, falando de Spider-Gwen (que eles colocaram como Mulher-Aranha aqui), eu achei muito bom mesmo, pena não poder me alongar muito, porque geraria muitos spoilers da trama. A história dela em relação ao Peter de seu universo e ela ter se fechado do mundo é facilmente relacionável. A mente dela já é bem conturbada, depois dela ser jogada em outro universo, eu pensei que ela ficaria bem perdida, mas ela age rapidamente. Claro que, ela chega bem antes de todo o problema começar, mas mesmo assim, muitas pessoas não teriam a mesma rapidez pra tomar decisões que ela.

As cenas dela são muito boas, a personalidade dela é bem forte, foge bastante do que o pessoal é acostumado a falar da personagem de um modo geral. As interações dela com os outros Aranhas, principalmente com o Miles, são maravilhosas e pontuais, o que é difícil hoje em dia que ou eles deixam a menina submissa e genérica, ou a colocam com uma personalidade completamente forçada e isso só enfraquece o roteiro do personagem.

Ela pode carregar o Spider-verse sozinha caso um dia eles não queiram mais usar o Miles, e isso é ótimo. E isso fica mais legal ainda se vocês virem a segunda cena pós-crédito. Recomendo assistirem, porque ela já deixa um belo gancho para o próximo.



As cenas de ação são fora de série. Absolutamente tudo que mostra no trailer não é nem metade do que você vai ver no filme. Simplesmente surreal, principalmente as cenas que mostram as acrobacias, essas que nunca foram bem exploradas nos filmes, nem mesmo nos desenhos. Esse filme sabe o que tá fazendo no começo ao fim, sem contar os efeitos na tela, a trilha sonora e tudo mais que você pode querer em um filme do gênero.

O 3D vale a pena. Nunca pensei que diria isso pra um filme, ainda mais de herói, mas vale cada centavo. E esse 3D te deixa vidrado nas cenas de ação, o que complementa ainda mais o que foi dito em cima. A batalha final em uma tela boa, com um som de qualidade, combinado com um belo óculos 3D vai te fazer sentir uma experiência, e nem falo de você ficar "Nossa, que maneiro", é de você querer mais, mais e mais daquilo sendo que a cena mal começou.

Ok, Sony. Esse ponto é seu e ninguém tira de você. Mas isso não significa que te perdoei por Homem-Aranha 3.

Conclusão

Amei o filme, tanto que não achei nenhum defeito. Talvez seja uma das poucas vezes que fui ao cinema e saí de lá mais feliz do que entrei. Ver meu personagem favorito em uma animação que respeita toda a sua importância e ainda adiciona muitos e muitos outros personagens que vão carregar a tocha sem problema nenhum, isso é quase a Sony me pedindo pra jogar dinheiro na cara dela.

Recomendo fortemente que vão atrás para assistir, mesmo que você já esteja enjoado de "filmes de herói". É uma animação diferente, uma experiência única e além do mais, é um filmaço. Mesmo que você não extraia tudo que eu falei, se divertir você irá, e isso é inegável. Afinal, o objetivo de um filme é esse.

Crítica: Homem-Aranha no Aranhaverso (SEM SPOILERS) Crítica: Homem-Aranha no Aranhaverso (SEM SPOILERS) Reviewed by Jeferson Nunes on janeiro 14, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário