Crítica: Aquaman (COM SPOILERS)


Depois de todos os eventos e de Liga da Justiça, que com certeza foi um dos piores filmes que eu devo ter visto nos últimos anos, não era um filme do Aquaman que iria me animar. Eu até falei no primeiro PDcast da história, que o pequeno cânone do Aquaman foi até interessante, nada que salvasse Liga da Justiça, mas até que poderia me fazer importar com um filme dele.

A missão de um filme solo estava nas mãos de James Wan. Ele fez 2 filmes de terror muito populares e um Velozes e Furiosos que o povo elogiou. Infelizmente eu cago para filmes de Terror e larguei Velozes e Furiosos depois da decepção que foi o quarto filme. Então sabia muito o que esperar. Mas deu pra perceber que o cara era um legítimo diretor de filmes de Terror, visto que em alguns momentos deve uns Jumpscares muito bem encaixados: Quando aparece o arraia na Itália e no ataque no Fosso daquelas criaturas aquáticas à dupla Arthur e Mera.


Eu esbocei um sorriso nessas cenas porque elas foram muito bem encaixadas e encontraram o diretor certo para fazê-las. Nas ultimas semanas, amigos e a internet reagiram positivamente com o filme... me deixando mais otimista e confiante. Eu realmente já não esperava muita coisa, mas depois de assistir Venom (leia a crítica do Jeferson clicando aqui) eu precisava de um filme de ação pra melhorar meu ânimo com o gênero e com o próprio fim de ano.

O início do filme com aquela introdução bem acelerada com aquelas firulas técnicas e plano sequência disfarçado que já demonstrava no trailer (aliás, o que o trailer não mostrou?)  me animou bastante. Apesar dessas cenas quase se tornarem repetitivas, eu gostei porque destoou um pouco do gênero. Porra, até minha irmã disse que ficou tonta com aquelas filmagens em 360º com a Rainha dos Mares enfrentando o Exército de Atlantis.

Acho que esses 20 minutos iniciais que já destacaram o tom do filme. Há um pouco de tudo envolvido no roteiro: Drama, Aventura, Fantasia, Ação, Romance e alguns elementos de terror... tudo isso dando uma mistura muito interessante. Acho que essa salada de gêneros no filme vai ajudar na popularização e ainda por cima aumentando na bilheteria. O Drama dos pais do Aquaman logo de início já fez algumas pessoas no cinema chorarem com menos de 10 minutos, o plano sequência de ação e todas as firulas técnicas de James Wan empolgaram o povo, tem o mundo subaquático colorido pra caralho, muito fantasioso e o romance entre Arthur e Mera. Acho que todos os elementos que eu falei já são introduzidos logo de cara.



E eu gosto quando o filme meio que engloba diversos gêneros, faz a galera encher os olhos e agradar públicos diferentes. Enquanto a gente ta aqui falando sobre universos expandidos e uma nova perspectiva para os filmes da DC, parte do público geral que não é muito fã deve estar falando do quanto o Momoa é lindo e que torceu pelo casal... Não acho que ele acertou completamente em todos os elementos. Uma das minhas ressalvas com o filme se passa com o desenvolvimento do Aquaman enquanto super-herói. Toda aquela jornada que ele faz de ascensão - queda - redenção, que é um padrão nos dramas de hollywood soou meio como se "ah, já vi isso antes". Toda aquela viagem dele: atlântida - saara - Itália achei um porre, acho que eles até usaram mais pra ampliar a relação dele com a Mera, que foi bem mais ou menos, serviu mais pra fazer a cena espetacular do beijo dos dois no meio da batalha final, que me fez comprar o casal (É, demorou bastante). Antes pareceu mais que ela tava lá só pra cumprir tabela de casal de filme comercial, e realmente foi, só que mano: você vê a cena dos dois se beijando no meio de uma puta guerra submarina e não quer saber de nada disso e perdoa o tratamento um pouco mais whatever do casal.



Até porque Mera foi uma personagem bem inconsistente, pra falar a verdade. Como bem afirmou o Jeferson, ela começa como "tudo pela minha nação" e termina como uma donzela em perigo. Mais problemas desse segundo ato de filme, que pareceu realmente estar indo no piloto automático e não deu muito certo. Outra ressalva que tenho é em relação a trilha sonora: pareceu muito inconsistente também. No início os temas épicos ajudavam a arrepiar a gente, e no fim também. Só que as trilhas no meio do filme pareceram muito genéricas e ainda meteram algumas músicas pop que não tiveram absolutamente nada a ver com o tom do filme. 

Quanto ao Arraia: Eles dão uma boa destacada pra ele: mostrando um belo background para ele. Mas é um vilão que serve para movimentar a história e somente isso. Assim como foi a Fantasma no bom Homem-Formiga e a Vespa. Você tem um background, não muito profundo, mas bom, e o personagem ajuda a movimentar o roteiro para que o herói faça algo muito maior. Dando um ponto de equilíbrio na trama. Isso foi legal e gostei muito pois é o suficiente.



Já o vilão principal, Orm, me agradou e não me agradou ao mesmo tempo. Eu tava achando maneiro quando ele se posicionava mais como um vilão um pouco mais tradicional. Achei que forçaram colocando uma justificativa humanitária pra causa dele. Que até tem sua razão, mas a motivação do personagem  no sentido de "os seres humanos jogam lixo nos oceanos, vamos exterminá-los" foi jogada pra caralho, ele falou por 5 segundos e foda-se, quando claramente você via nos seus olhos a determinação para eliminar o irmão Bastardo Arthur (Aquaman) aquilo já era suficiente.

Parece que depois de Pantera Negra tá na moda dar uma causa humanitária pro Vilão, o que na maior parte das vezes é uma boa sacada, mas isso não é necessário sempre.



Acho que o Terceiro ato do Aquaman deve ser o melhor de algum filme da DC desde Watchmen. Sem exagero, acho que o terço final de filme com a batalha submarina quase na base da excelência. Pareceu Star Wars debaixo d'água. Muitas cores, naves lançando lasers caralho que filme bonito. O Aquaman com um sinalizador vermelho no mar no meio de um bocado de peixe... James Wan tava inspirado filmando Aquaman. Já não bastava as sequências de ação como na Itália, onde você ia de um lado pro outro acompanhando as frentes de combate. O cara é o Ronaldinho da direção, cheio dos truques. Nunca pensei que iria dizer isso na minha vida, mas ADOREI o 3D do filme. Realmente eu detesto essa tecnologia e os filmes ficam uma bagunça no visual, mas Aquaman foi a exceção que eu precisava. Ficou lindo o efeito

Aquaman é uma mistura de Pantera Negra, Bob Esponja, Power Rangers, Star Wars, Thor, Procurando Nemo e outra penca de filmes maneiros, uma salada muito legal de se assistir no cinema, fechou o meu ano com chave de ouro (no quesito Cinema, é claro). Mas obviamente que o filme tem erros, nem tudo em que ele atira acerta como foi dito anteriormente. Só que acredito que esse seja o filme que vai salvar a DC nos cinemas (alô omelete) e pôde ditar o tom que o DCU precisa e merece para se estabelecer sem ver os fãs ficarem se digladiando na Internet e todo mundo curtir os filmes.

Parabéns, vocês acertaram.




Crítica: Aquaman (COM SPOILERS) Crítica: Aquaman (COM SPOILERS) Reviewed by Adao Filho on dezembro 26, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário