Quer ser o primeiro a saber sobre novos conteúdos?

E assim como fez com seu último álbum, Eminem lança de forma surpresa seu mais novo projeto chamado “Music To Be Murdered By” o álbum conta com letras polêmicas, letras de conscientização, flow do Sonic, feats falecidos, e 20 musicas.

Eminem Politizado?

O álbum teve como primeiro single a música “Darkness” que conta uma narrativa altamente interessante que acompanha um video merecedor de prêmio. Spoiler do videoclipe a seguir: no vídeo vemos Eminem contando o que parece ser uma de suas preparações para mais um de seus shows, o
vídeo mostra um homem vestindo uma roupa semelhante a de Eminem e que parece estar em um quarto de hotel observando o lugar que recebera o show, então descobrimos que este homem se trata de um atirador que realizou um massacre em 2019 nos Estados Unidos.

Para muitos: a menagem do vídeo mostrou um Eminem politizado, aquele que já tínhamos visto no revival, muito diferente do clássico Eminem de “just don’t give a fuck” e “Superman”. Para outros: Eminem amadureceu e suas letras amadureceram com ele…  Ou será que não?

Eminem e outra grande Bola Fora

Uma linha que esta trazendo muita controvérsia ao nome de Eminem esta presente na música chamada “Unaccommodating”. Na musica, Eminem diz “estou observando e gritando ‘BOMBA’ no jogo como se eu estivesse do lado de fora do show da Ariana Grande”

A linha faz referência ao ataque acontecido em um show que a cantora fez em Manchester em 2017. O fato de Eminem trazer algo tão delicado a tona, somado ao fato de que no mesmo álbum que ele fala contra o uso deliberado de armas ele zoa um ataque armado não pegou bem na midia, Ariana por sua vez não se pronunciou.

Eminem Feat. Amigos Desconhecidos

 

Se tem uma coisa que se tornou rotina nos álbuns do Eminem foi a falta de participações de expressão. O álbum conta coma participação de Ed Sheeran (sim esse creio que todos conhecem) Young M.A (lembra? Oooouuu) Juice WRLD (r.i.p) e então vários artistas que caso você não esteja familiarizado com o circulo do Eminem, você não ira conhecer.

Nada contra dar uma luz para os artistas da gravadora, porém estamos falando de um cara que tem amigos como: Jay Z, Drake, Nas e mesmo assim não tem uma música com um desses nomes a mais ou menos 10 anos, até Lil Wayne cairia bem (ta, talvez só pra mim).

Ainda sobre os feats, muito se pergunta como Juice WRLD acabou no refrão de Godzilla (música em que inclusive o Eminem bate seu recorde de mais palavras por segundo), foi revelado que Juice gravou seu verso semanas antes de sua trágica morte e que desde o começo se sabia que este verso iria para uma música de Eminem.

Vale a Pena Ser Assassinado Por Esse Álbum?

 

Quando o Eminem trouxe Kamikaze, ele tinha uma motivação: mostrar para todos os críticos do Revival que ele ainda estava ali, e isso resultou em um dos melhores álbuns de 2018, por outro lado subiu e muito a barra para o álbum seguinte.

Ao julgar apenas pelo single “Darkness” alguns chegam a dizer que esse álbum é apenas Revival 2, porem isso é um tremendo equívoco.

Em sua primeira metade o álbum apresenta lampejos do Kamikaze, um Eminem agressivo e com letras violentas, porem a grande duração do álbum, que parece ser um problema comum na música hoje em dia, acabou fazendo com que ele se desgastasse e ficasse cansativo.

Music To Be Murdered By nada tem haver com o Revival, e chega a lembrar o Kamikaze, porém não o suficiente para ter suas glórias, porem o mais importante é que com esse álbum Eminem mostra que ainda esta aqui, e não vai a lugar nenhum.




Escute o Álbum:

 

Deixe seu comentário para Crítica: Eminem – Music To Be Murdered By (2020)