Quer ser o primeiro a saber sobre novos conteúdos?

DONDA

Após um 13 meses da data original de lançamento, 4 listening parties (3 publicas e uma privada), e diversas versões diferentes para varias musicas, finalmente temos o produto final: Temos o 10º álbum de estúdio de Kanye West – Donda.

O álbum leva o nome de sua falecida mãe: Donda West, e em algumas versões anteriores, a capa apresentava uma foto sua, porem, para o produto final, Kanye decidiu optar por uma imagem totalmente preta, talvez representando o luto e a memória de sua mãe Donda.

Mas essa não foi nem de longe a única mudança nesse álbum.

A Evolução de Donda.

Desde o ano passado, nós fomos apresentados à diversas tracklists. Para mensurar a situação, as únicas musicas que sobreviveram desde a primeira tracklist até o lançamento foram:

  • 24, Donda,
  • Off the Grid
  • Huricane

Vale lembrar que Huricane é uma das musicas que estariam no álbum nunca lançado de Kanye, o Yandhi.

A musica tinha em sua primeira versão, Ye cantando um refrão muito semelhante ao que temos hoje e apenas isso, em seguida inúmeras versões da musica vazaram com inúmeros feats que iam de Ant Clemons a Big Sean, até chegarmos a versão apresentada na primeira listening party, que contava com Kanye cantando o refrão carregado de auto tune e vocoder, versos de Lil Baby, além de muita gemedeira do Ye, deixando claro que aquela não seria a versão final do primeiro single do álbum.

Parecia que faltava algo, algo que agradasse a radio, algo que deixasse a musica com cara de single e que fosse agradável aos ouvidos, e amigos… O Kanye achou esse algo, ele se chamava The Weeknd deu uma nova vida a canção e fez com que ela gritasse single.

Alem de Huricane, outra musica que passou por mudanças foi Jail, a canção que pegou todos de surpresa na primeira listening party ao apresentar o retorno da dupla The Throne (Jay Z e Kanye) chegou a ter Jay substituído por Dababy na segunda listening party, o que levou vários fãs a se revoltarem contra Kanye… Não?… Como assim fui só eu?

Porem no fim das contas as duas versões acabaram no álbum como Jail (Feat Jay Z) e Jail pt2 (Feat Dababy & Marilyn Manson), sim, o Kanye West, Aquele cujo qual o ultimo álbum é um álbum gospel chamado Jesus Is King, tem em seu mais novo álbum Marilyn Manson como um dos feats, Não que eu seja contra ou algo do tipo, inclusive achei que Manson foi uma grande adição ao refrão, mas imagina aquela galera que começou a seguir o Ye unicamente pela sua run gospel dando de cara com Marilyn Fucking Manson em seu mais novo
projeto.


Porem, nem só de musicas evolutivas e feats controversos se faz um álbum, estamos falando de um álbum com 27 faixas reunindo o mais puro suco de Kanye West possível.


Um Longo Álbum


Depois de 13 meses cozinhando e uma sequencia de álbuns com tempo inferior a 30 minutos, não era de se espantar que Kanye nos desse um álbum mais longo…

Bem mais longo, são 27 faixas ao total se ignorarmos Donda Chant, que nada mais é do que uma voz robótica repetindo a palavra Donda por quase um minuto, e Tell the Vision que mais parece um tributo ao rapper falecido Pop Smoke, que chegou a trabalhar com Kanye nesse álbum (sim galera, foi uma longa jornada), ainda nos sobram 25 faixas com uma hora e meia de duração, a razão para um álbum tão longo parece ser clara.


As listening parties pareciam um termômetro para Kanye, ele via o que as pessoas gostavam e o que elas não gostavam, foi o feedback delas que fez Weeknd ser adicionado a Huricane e Jay Z ser posto de volta a Jail. Ao todo em sua carreira Ye lançou 10 álbuns e nenhum deles foi lançado na data prometida, (Menção honrosa a 808’s & Heartbreaks lançado uma semana antes do previsto) para muitos pode parecer que Kanye não se importa com os seus fãs, mas para outros, ele se importa demais.

O álbum deveria sair em 2020, depois no fim de junho, depois 6 de agosto, até seu lançamento em 29 de agosto, todos esses adiamentos se dão a respostas que Kanye recebeu em suas Listening Parties, ele fez o mesmo com Jesus Is King e com The Life Of Pablo, porem, a que acredite que para este ultimo álbum, Ye teve motivos a
mais para tantos adiamentos.


E Lá Vamos Nós De Novo.


Ok… Vamos lá… Acho que todos nós sabemos que o Kanye não gosta do Drake e vice-versa certo? Todos nós acompanhamos as trocas de farpas em 2018 certo? 3 anos depois cada um pode seguir sua vida normal certo?

ERRADO.

Tudo começou (ou recomeçou) quando na primeira Listening Party: Kanye apresentou a musica que hoje conhecemos como Ok Ok, nela Kanye parece responder a um freestyle feito por Drake em 2018, após isso Drake aparece na canção Betrayal de Trippie Redd deferindo ataques subliminares.


Mas ok, o que isso tem haver com o lançamento do Ye? Respondo-te: muito se especulou que Ye e Drizzy estariam em uma espécie de guerra fria, escondendo as datas de lançamento de seus álbuns, Donda e Certified Lover Boy, porém sabíamos que eles sairiam próximos por todo o murmurinho sendo feito, e não deu outra.

Tudo começou quando a Apple Music anunciou que Donda sairia em 3 de setembro, e em velocidade recorde Drake anuncia seu álbum para a mesma data dando a entender que teríamos uma reedição do que foi 50 cent x Kanye lançando seus álbuns no mesmo dia, porém, dessa vez, com dois rappers que realmente não se gostam.


Porém no fim das contas o Kanye arregou acabou lançando seu álbum uma semana antes de Drake fazendo com que o confronto fosse cancelado.


O Kanye Gospel Vive.


Apesar de apresentar diversos palavrões em suas faixas, atacar outros rappers em suas faixas, falar sobre drogas e coisas ilícitas, além de ter Marilyn MotherFucking Manson em uma de suas faixas… Kanye não deixou de demonstrar sua fé em varias musicas: Jonah, Jesus Lord, Pure Souls e minha favorita No Child Left Behind são provas disso.


Parece que esse é o caminho que Kanye quer seguir em sua carreira, ele quer falar sobre Deus e sobre como sua fé influenciou em sua vida, porem ele não quer passar a imagem de santo imaculado, assim trazendo o tipo de som que
nós sempre estivemos acostumados a ouvir do Sr West.

Donda acaba por ser o álbum que Jesus Is King tentou ser, um álbum pessoal onde o Kanye fala sobre suas dificuldades, seus momentos de fraqueza, e claro de sua mãe Donda.

Em tese Donda é uma espécie de Recovery do Kanye, Só que bom.


Precisamos Falar Das Listening Parties.


Desde o mês de Junho Ye vinha nos presenteando com festas aonde milhares de pessoas iam para ouvir um álbum 43% pronto, Essas festas escalaram muito rápido se levarmos em consideração que a primeira consistia no Ye mascarado ouvindo seu álbum (vale lembrar que em nenhum dos eventos Kanye de fato cantou as musicas) enquanto a plateia enlouquecia, sendo aquela a primeira vez que Kanye aparecia para um grande publico desde 2018.


O segundo evento teve um tom mais performático, com Kanye (ainda mascarado) rodeado de pessoas (também mascaradas) enquanto suas musicas tocavam, o ponto alto deste segundo evento foi o fim aonde Ye foi puxado por cabos pendurados no teto ascendeu até ao céu.

A terceira festa foi sem duvida a mais emblemática, não só por ter sido a que antecedeu o lançamento do álbum, como também, por ter sido mais bem trabalhada, pelo fato de Kanye (ainda mascarado) trazer maioria dos seus feats para o palco com ele, e claro, o ato final.

No fim da ultima Listening Party tivemos Kim Kardashian vestida de noiva indo em direção a Kanye ela se aproxima do rapper, tira sua mascara e o beija, dando a entender uma volta entre os dois (tá puto Drake?)

Tá, mas pirotecnias de lado o que podemos concluir não só sobre Donda, mas também de toda a experiência em si?


Ele Fez De Novo.


E mais uma vez Kanye West nos presenteia com um álbum extraordinário, um álbum que fez valer a pena esperar um ano e um mês para seu lançamento, mas uma vez ele conseguiu pegar toda a publicidade ruim sobre si e capitalizar em um álbum, mais uma vez Kanye venceu.


Donda é um álbum que teve varias participações: Lil Baby, The Weeknd, Lil Yachty, Pusha T, Ariana Grande entre outras, mas o que é mais importante – teve participação ativa dos fãs que influenciaram diretamente em
diversas faixas com a resposta as listening parties
, mas então, porque nem todos os fãs parecem ter sido agradados com isso?


Estamos falando de Kanye West, um homem que já cancelou um álbum gravado, mixado e finalizado, um homem que cancelou o lançamento de Huricane como single horas antes do lançamento, causando com que a musica vazasse em varias partes do mundo, e consequentemente, no mundo inteiro, por mais que Ye diga que precisa melhorar o álbum e que a espera será justificada (como acabou sendo), os fãs sempre temerão um novo Yandhi.

Por fim

Kanye mostra que ainda consegue fazer clássicos ao mesmo tempo em que faz hits.

Nas primeiras ouvidas o sentimento é de que Donda apenas fica atrás De My Beautiful Dark Twisted Fantasy, e claro, da trindade sagrada, Graduation, Late Registration e 808’s, mas não se engane, um ótimo álbum do Kanye ser quinto lugar em sua discografia, diz mais sobre o Ye como artista do que sobre o próprio álbum em si.

Donda de Kanye West está entre nós.

Escute Donda – Kanye West

Deixe seu comentário para Crítica: Donda – Kanye West