Crítica: Ford vs Ferrari - COM SPOILERS


Ford vs Ferrari pode não ter a "crítica social foda" de Parasita, ou uma atuação divina de Joaquin Phoenix em Joker, ou sequer a maestria de um cara como Martin Scorsese tem do gênero máfia em The Irishman. Mas eu amei Ford vs Ferrari mais do que todos esses citados. De verdade.

 Eu afirmo para você: é quase impossível sair sem um sentimento positivo depois de assistir esse filme. Principalmente por se tratar de um Feel Good Movie: Aquela obra otimista, que te faz sentir leve, ou com emoção positiva.

Isso se dá principalmente pela química entre os astros Christian Bale e Matt Damon: a relação e dramas pessoais de cada um. Companheirismo e a vontade de vencer os unem. Um pouco diferente da obra-prima Rush (2013), onde a rivalidade entre os protagonistas era o foco de tudo, nessa fita o companheirismo se sobressai em busca de um ideal maior: a vitória.

A história se trata da missão espinhosa da Ford criar um carro de corrida competitivo o suficiente para bater o velho Enzo Ferrari. Nesse meio, o personagem do Bale: Ken Milles é um ótimo e problemático piloto que ajuda Carroll Shelby, um ex-piloto vencedor, a construir uma máquina para a Ford e vencer a tradicional 24h de Le Mans, dominada pela equipe vermelha italiana.



A história foi um marco do automobilismo nos anos 60, o meu único problema com o filme foi a forma que eles trataram os Ferraris: como apenas caras babacas orgulhosos. Não que passaram pano para a Ford, colocaram o dono como um capacho dos subordinados diretos (que são tão babacas quanto os caras da Ferrari), pareceu um tanto superficial nesta parte.

É uma premissa simples e um filme relativamente longo (153 minutos), mas para não deixá-lo cansativo, a montagem do filme busca manter um equilíbrio perfeito entre dramas, corridas e alívios cômicos. E os caras conseguiram: esse filme é muito bom de assistir. Em nenhum momento me senti cansado ou sequer pensei no tempo.

A virtude do entretenimento é muito forte aqui, mesmo se você goste ou não de automobilismo, Ford vs Ferrari se torna palatável para todos os públicos. No meio do filme, os executivos da Ford rejeitam (pela segunda vez) que Ken Miles seja o piloto da Ford, então Shelby implora ao chefe uma chance para Miles, apostando sua empresa em troca. E em uma corrida preparatória, você se vê torcendo com todas as forças para a dupla protagonista.



O sentimento de tensão e o medo de que tudo pode dar errado é alimentado com a perfeita mixagem de som. Na corrida final, em Le Mans, quando o Ford GT e o carro da Ferrari ficaram lado a lado, a cadeira começou a tremer em frequências diferentes a cada close da câmera. Quando focava na Ferrari era um jeito e no Ford outro. Foi surreal essa experiência. Certamente as cenas de corrida perderão parte do brilho para quem for assistir fora do cinema.

Se o mundo for justo, Ford vs Ferrari já ganhou o Oscar de melhor mixagem e edição de som. 

Montagem, Mixagem, Edição... outro detalhe técnico maravilhoso foi a Fotografia. Ela é bonita para caralho. O Mangold parecia estar com vontade em gravar ao pôr do sol. Tem cada close que a câmera dá nos personagens com o sol poente, dando aquele ar de grandiosidade. E nas corridas, eu nem preciso dizer: lembrou muito rush, te colocando quase dentro das máquinas em primeira pessoa. Dava para ver que o filme tentava equilibrar a grandiosidade com a parte mais íntima da história. Como tudo nesse filme é muito bem dosado, funcionou muito bem.

Conclusão



Apesar de não ser focado nas corridas, Ford vs Ferrari aquece o coração fã de Automobilismo. Tudo o que você quer num filme do gênero está lá: companheirismo, suspense, aquela trilha sonora forte no ápice das corridas. É maravilhoso. Christian Bale e Matt Damon certamente merecem indicações às premiações, juntamente com a equipe técnica.

É sempre bom lembrar: esse é um filme para todo mundo assistir. Ele é um filme muito humano, focando muito em aspirações, paixões e relação entre empresa-trabalhador. É quase impossível que você saia com um sentimento ruim em relação à Ford vs Ferrari, a não ser que tenha visto o filme errado.

James Mangold acertou de novo. Que filmaço!





Crítica: Ford vs Ferrari - COM SPOILERS Crítica: Ford vs Ferrari - COM SPOILERS Reviewed by Adão Filho on dezembro 01, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário