Crítica: Game Of Thrones - 8ª Temporada [COM SPOILERS]


Game of Thrones foi uma das poucas séries que me fez despertar um interesse real. Sempre fui fascinado por histórias fantasiosas, RPG, e tudo que envolva o gênero. E desde quando conheci a série, lá em meados de 2014, eu fiquei fascinado com tamanha qualidade de roteiro e inventividade da série. Era uma daquelas obras que todo fim de temporada as pessoas roteirizavam e roteirizavam e havia aquela incerteza do que estava por vir. A série se mostrava como uma grande "destruidora de expectativas" e fazia algo melhor em vez do que esperávamos.

Isso veio muito por conta do talento de George R.R. Martin (que além da história sensacional, ajudava a construir os roteiros de cada episódio). E assim foi indo por 4 temporadas extremamente sólidas, que apesar de pelo menos a primeira e a segunda não serem perfeitas, a série estava consolidadíssima já na terceira e quarta. Na época, era inevitável as comparações com Breaking Bad, já que eram os seriados mais aclamados do mainstream. Foi com a chegada da quinta temporada que tudo começou a ameaçar o reinado das Crônicas de Gelo e Fogo na TV.

Leia-se: "ameaçar o reinado" como "diminuir a qualidade da série" com deslizes de roteiro, rumos tomados pela história e afins. Porque eu não admito a pessoa dizer que GOT simplesmente se tornou ruim da noite pro dia a partir da oitava temporada. Isso beira ao ridículo e à inocência. Essa série não diminuiu seu nível na oitava temporada, isso é um resultado de decisões e inconsistências que já foram "anunciadas" desde a quinta temporada. Muito dos problemas que eu vou citar, que você já está cansado de ler na internet por aí não é novidade alguma.

Acredito que isso veio da alienação que as quatro primeiras ótimas temporadas causaram no público, GOT se permitiu errar algumas vezes. Mas é aquele ditado "a conta sempre chega" e ela chegou com juros. Como GOT cometeu diversos outros erros da sexta temporada pra frente o arcabouço deixado pelas primeiras temporadas já tinha sofrido bastante, e deixando assim as fraquezas do roteiro à mostra.

Você pode me perguntar quais foram os problemas que Game of Thrones cometeu até chegar nessa temporada. A gente poderia começar com o desenvolvimento lento e arrastado de alguns personagens e arcos importantes, como o da Danaerys e da Arya em algum miolo da quinta e da sexta. As batalhas (com exceção obviamente da batalha dos bastardos) durante os ultimos episódios ficaram repletas de inconsistências narrativas, escolhas discutíveis de atitudes e claro, Deus ex Machina. Tivemos romances entre personagens que não tinham a menor química e foram extremamente forçado e defendidos por fanfiqueiros de plantão. Era óbvio que a conta chegaria.

A questão é, que o background de GOT era tão bom que a gente deixa passar esses problemas. Quem liga se "jonerys" não tinha o menor fundamento ou química? Quem liga que o Bran parecia não ter um dos três olhos meio vesgo ou que principalmente na sexta temporada os personagens pareciam se teletransportar e o Gendry Baratheon teve uma média de velocidade comparável ao Usain Bolt? 



Isso não importava porque GOT é foda, os personagens tinham carisma, o universo já havia sido apresentado pra gente e querendo ou não estávamos imersos nele.

A mediocridade da série já estava estabelecida por completo desde a temporada passada, não há como negar isso, infelizmente. Tanto é que as 2 ultimas temporadas foram gravadas juntas, com a mesma equipe de Roteiristas, D&D, que já estão prontos pra fuder continuar Star Wars em uma nova trilogia inútil  que será lançada em 2021.

Eu até estava dando uma colher de chá para a oitava temporada, os 2 primeiros episódios foram interessantes. O primeiro, sendo muito generoso, foi bacana, pois teve alguns desdobramentos legais que já estavam engatilhados a respeito de Jon Snow. Foi algo bem marcha lenta, o que foi um problema visto que somente tinha 6 episódios para concluir a história. O segundo idem, mas achei mais interessante pela exploração muito legal dos personagens principais e seu medo da guerra que vinha sido anunciado. Foram 2 episódios interessantes que se tornaram totalmente não condizentes com os fucking 6 episódios que eles prometeram para concluir uma série tão complexa, repleta de arcos, famílias, personagens e tramas.

A história parecia grande demais para a resolução que eles planejaram.

O final distribuído em 2 temporadas de 6 episódios já prejudicou imensamente o encerramento de GOT.  E mais do que isso, acho que a pá de cal da série, se não foi o tenebroso "Dany" falado por Jon Snow temporada passada, foi aquele episódio escabroso que foi o terceiro. E teve gente que defendeu aquilo. Uma batalha extremamente brochante, cujo CGI pareceu tão cagado que colocaram o episódio "difícil de enxergar" para maquiar os defeitos da computação gráfica em troca de uma "experiência imersiva". Ao que parece até estrategistas militares notaram defeitos naquilo (rs). Além da luta mal coreografada, um desfecho totalmente incoerente: Arya passando aperto com meia dúzia de White Walkers que pareciam ouvir o seu sangue enquanto a mesma estava como se tivesse concussão ou uma pancada bem forte na cabeça. Depois disso ela magicamente recupera os sentidos, escapa de todos os White Walkers, inclusive os "generais" do exército, salva o Bran num Deus ex machina cachorro e mata o Night King como se fosse bosta. Sendo que o mesmo Rei da Noite sobreviveu à uma rajada de fogo de dragão, foi morto por uma faca forjada à fogo de dragão no bucho. Algo incoerente que beira ao absurdo e conseguiu me tirar risadas cara.

Foi o pior episódio da série inteira, junto com o fatídico Dany que me fez querer atirar o controle na minha TV.

O quarto episódio a gente pode pular porque aconteceu absolutamente nada além do copo de Starbucks (que não era do Starbucks) no cenário e ainda gerou mais de 2 bilhões pro Starbucks que ganhou com a divulgação gratuita, olha só...



A reta final, ao contrário de muita gente decepcionada, até que me agradou. Claro que para chegar nesses últimos 2 episódios, aconteceu diversos erros na continuidade da série e dos rumos que o roteiro tomou. A loucura da Danaerys não me surpreendeu ser exposta com mais clareza agora. Desde as primeiras temporadas a gente já percebia que ela praticava a filosofia dos "fins justificam os meios", ela como bem afirmou, "não sou uma política, sou uma rainha" e queimava quem estivesse no seu caminho em nome do título "quebradora de correntes". Mas como afirmou alguém na internet: "ela não era apresentada como uma vilã, se tornou quase uma Darth Vader agora" e concordo. A transição dela de uma personagem de camadas que poderia se tornar perigosa para uma completa vilã foi rápida demais, o que até soa "coerente" com a mediocridade que a série se tornou.

Medíocre no sentido real da palavra:


Ou seja, caro jovem adulto que estiver lendo essa crítica, já diria alguém em algum nerdcast: "caso você saia com uma mulher e ela dizer 'seu pênis é medíocre' não se ofenda".

Queria destacar a referência no quinto episódio de Jaime Lannister "Nothing Else Matters" em referência à bela música do Metallica que faz total sentido com o romance dele com a Cersei. Pelo menos nos detalhes da música né (rs)



Sério, não tinha como não gostar do quinto episódio (rs). A batalha juntamente com a Danaerys queimando tudo achei muito mais decente que o patético terceiro episódio. Ainda longe ser uma grande batalha, mas qual foi a  guerra de GOT que realmente foi boa? Eu só consigo pensar na Batalha dos Bastardos e na Água Negra. 2 exceções que confirmam a regra que os confrontos entre exércitos de Game of Thrones quase nunca são satisfatórias. 

Pequeno destaque para a aparição rápida de Aaron Rodgers, astro e Quarterback do Green Bay Packers no quinto episódio:



O Episódio Final? Foi bom e ruim ao mesmo tempo. O ponto final de GOT não foi o problema, o caminho até ali sim. Claro que passou por cima de diversas profecias, ou arcos na história... como já estava acontecendo. Eu senti até uma ponta de nostalgia com o final da Saga. Não que eu vá ter saudades desta ou da temporada passada... Mas como um todo, o resultado foi muito positivo, observar os Starks em cada ponta do mapa olhando pro nada com um sentimento de "dever cumprido" foi emocionante. 

Não foi o final que precisávamos, mas foi o final que a fanbase fanfiqueira merecia ao apoiar "Jonerys", Deus Ex Machinas sem sentido algum e outras decisões merdas que influenciaram esse final insatisfatório.

Por isso achei o episódio final e suas decisões (morte da danaerys, bran reinando etc.) Ok, "foi o que deu pra fazer". 

Conclusão

A ultima temporada de Game of Thrones foi do mesmo nível da sétima: Medíocre. Nós tivemos sim alguns episódios bem interessantes, mas o rumo que a história tomou foi péssimo, e repito: não é de hoje.

É uma pena, totalmente diferente da série que a gente aprendeu a amar.



Crítica: Game Of Thrones - 8ª Temporada [COM SPOILERS] Crítica: Game Of Thrones - 8ª Temporada [COM SPOILERS] Reviewed by Adão Filho on maio 22, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário