Crítica: Capitã Marvel (COM SPOILERS)


Acho que fui um dos poucos aqui do site (e do meu círculo social) que realmente se animou para assistir Capitã Marvel. Desde o primeiro trailer a pegada já diferente era explícita e eu me empolguei bastante. Claro que depois saíram 'trocentos' comerciais com cenas novas e eu evitei de assistir, porque já estava beirando o "Vejam mais cenas do filme porque sim!!!!", e isso me deixa cansado do filme antes mesmo de ir assisti-lo.

Mesmo com muitos contratempos, fui ao cinema na quinta-feira para assistir e ter uma experiência mais tranquila possível. Adorei o filme, e aqui estou para mais uma review no PD.



Se tratando da história em si, achei simples, mas efetiva. É um filme de origem, muita gente "esquecida" tem que entender essa parte, pois é complicado entrar na sessão querendo mil e uma histórias, builds e plots mega detalhados no primeiro filme de uma nova franquia e que se passa tanto tempo no passado (cronologicamente, é o primeiro filme do MCU).

Toda a história é bem desenvolvida e seu humor é pontual, justamente pela sua simplicidade, e como ela retrata os problemas que muitos de nós (mais as mulheres, claro) temos que lidar com as pessoas duvidando das nossas capacidades, ou até mesmo limitando o que vamos fazer por medo de ser superado. E bem, no filme esse é o caso do Yon-Rogg (Jude Law). O roteiro em volta dele é muito bom, porque Jude Law faz tão bem que realmente há momentos que você torce pro momento do socão, e ele realmente acontece no final.

O roteiro deixa muitas das coisas balanceada. A Maria mesmo aparecendo 'relativamente pouco', é muito boa, e faz o papel dela que é reforçar a mensagem do filme/deixar a Carol mais humanizada. Confesso que parte do meu problema com o roteiro é como o segundo ato é mal distribuído comparado com o primeiro e terceiro, mas a Maria e toda aquela cena delas na cozinha e depois com ela indo ao espaço com a Danvers, faz essa parte ser menos dolorosa para mim (e meu ritmo de ver filmes).

Mesmo sem a Capitã recobrar 100% da memória (ou pelo menos, tê-la no lugar), é muito legal como ela se sente confortável com a amiga, acho que é daquelas relações duradouras que vamos ver no MCU em várias abordagens diferentes.

A montagem é algo que vou falar detalhadamente nas cenas de ação, mas em relação ao enredo, chega a ser meio complicado em certas partes, pois os flashbacks às vezes atrapalham o entendimento como um todo, ainda mais no 3D, que é meio escuro e borrado em certos momentos (algo comum em 3D convertido). Entendo que a ideia ali era deixar um pouco confuso, pois a mente da Carol está dessa forma, mas chega a ser covardia jogar um erro do filme na conta do "Ah, mas é a narrativa". Esse é um dos poucos pontos que o enredo peca para mim.

Outra coisa que eu não gosto muito, são os "plot twists", que na minha visão, o do Yon-Rogg só foi feito porque não quiseram pensar em uma saída melhor, então jogaram o óbvio. Me senti um pouco ofendido com eles forçando desde o começo que ele era um cara legal sendo que tinham várias cenas explícitas dele com o Ronan tramando, sem contar a persistência dele em falar "Tudo que é dado, pode ser tirado". Ele matar a Mar-Vell foi o ápice pra mim, tanto que na sessão, tudo que eu ouvi foi um casal atrás falando "Isso era meio óbvio, né? Ele tem cara de imbecil mesmo".

Quer fazer um plot twist? Faça, mas antes veja se é a saída mais inteligente, pois caso seja mal executado, como costumam dizer, você choca um total de 0 pessoas.

Um ponto separado da trama que quero tocar é nesse "probleminha" que acharam no Mar-Vell "ser uma mulher", sendo que eles terem segurado a informação foi a melhor coisa do filme. No meio de tanto comercial e imagens vazadas, esse plot twist foi bem guardado, e na real, é até melhor assim.  Claro que, depois de um ponto o pessoal desconfia, mas a revelação é a melhor de todo o filme, ainda mais que logo após vem aquela cena digna de novela das 7 protagonizada por Jude Law... Ah, essa cena é meu novo Nemesis.

Aquele plot final dos Kree/Skrulls me deixou bem feliz também, achei interessante a justificativa para a Capitã ficar sumida por um tempo, ela estava fazendo o que sempre quis fazer: Ajudar os outros, por mais que esses outros sejam uma raça que ela 'aprendeu' a odiar, porque seguia ordens.

O que me dá raiva dessa sequência final é o desperdício que foi a cena de como o Fury perde o olho. Mesmo sendo uma piada, eles poderiam ter feito um puta build com aquilo, já que em Winter Soldier aquele olho é meio que o 'coringa' dele no final, sem contar todas as menções feitas a ele em outros filmes. Me senti decepcionado, mas se agradou o público, eu não tenho pra que alongar aqui.

Num resumo, acho que o enredo serve muito bem ao filme, e nas partes que ele erra, não acho que isso acaba com o filme, como vários outros do MCU sofrem, principalmente nas partes de relação dos personagens, onde esse filme está muito bem servido. Carlos, Fury e Maria fazem tudo fluir, seja no lado do humor (que puxa muito para os buddy cops, que eu amo desde criança) ou no drama, que pra quem se importa, é bem triste, ainda mais vendo pelo lado 'governamental' da coisa, onde nem um luto de verdade as pessoas podem ter, já que a situação era Top Secret.


Apesar de não gostar de tocar nesse assunto em reviews, acho bom citar aqui a atuação de Brie Larson e Samuel L. Jackson, e principalmente elogiar como os dois funcionaram tão bem como uma dupla. Citei acima que eles lembram muito um filme 'Buddy Cop' dos anos 80 e 90, mas o visual de Nick Fury me lembra Pulp Fiction em certos momentos, e isso me deixa feliz, já que ele é um filme que eu adoro. Só não digo que é meu top 1 porque eu sempre fico com peso na consciência e mudo o primeiro lugar toda hora.

Enfim, mantendo o foco, a atuação de Brie Larson não me cativou no começo do filme, muito se deve a dublagem que estava péssima nos primeiros 20 minutos de filme  o que parece ser um problema da montagem , mas logo depois da cena que os Skrulls aparecem, eu comecei a gostar muito mais, pois ali sim mostra alguém que está confusa com toda a sua história picotada, e sendo sempre colocada em dúvida pelos seus "mentores" e equipe. Não digo que ela superou o que eu esperava para atuação, porque eu não saio apostando contra atores e/ou atrizes, então o que viesse eu colocaria na balança do filme como um todo, e nesse caso, é muito bom, porque além do visual incrível, ela dá vida a uma personagem que mesmo 'se descobrindo', tem muito a percorrer ainda, o que reflete o papel dela no MCU, que muito provavelmente será uma trilogia + 3 filmes de equipe.

Depois desse filme, por mais que reclamem, ela É a Capitã Marvel, e acho difícil comentários de internet mudarem algo.

Quanto ao Ben Mendelsohn que faz o Talos, eu tenho só elogios, mesmo achando que algumas piadas descaracterizam um pouco em certos momentos. Ele rouba a cena sempre que aparece, e mais pro final quando finalmente entendemos o lado dele, eu fico muito satisfeito em como eles não mudaram o cara completamente só para ter empatia, ele foi se mostrando um cara bom que apenas fez o necessário para salvar a sua família. Não sei se irão aproveitá-lo futuramente, mas espero que sim.



Quanto as cenas de ação, elas são o que precisam ser. Não acho as sequências as melhores do MCU, mas estão longe de ser as piores. O 3D convertido dá uma ferrada em muito do que você assiste, então um pouco vai para a conta dele. Sem contar o que eu falei ali, existem muitos cortes estranhos, e às vezes você acha que mudou de lugar, mas é a mesma sequência em um plano que não mostra o que estava acontecendo de outro ângulo, é simplesmente "porque sim".

Existem cenas muito bonitas, como a que a Carol finalmente libera todo o seu poder, e as outras dela usando o traje, onde o efeito do cabelo formando o moicano graças ao capacete, ou simplesmente ela tirando o capacete. Óbvio que não é apenas um trabalho de pós, mas algo dar errado ali é mais comum do que parece, tanto que muitos filmes são completamente deturpados na sua pós.

Algo que não tem nada a ver com batalha, mas vejam a técnica que usaram no rosto do Samuel L. Jackson para ele ficar mais novo, é muito bom. Isso é literalmente o futuro do cinema, e eu espero que usem isso em mais projetos, porque é bom e funcional, não acho que exista algum contra tão forte a ponto de não quererem usar isso em projetos blockbusters.

A cena final dela destruindo as naves e salvando o planeta da invasão é meio ruimzinha, mas o papel dela é mostrar o que está vindo para Endgame e ela faz isso muito bem. Meu problema com essas cenas são questões de roteiro, porém isso eu vou guardar para o provável Podcast que faremos, então fiquem ligados.

Num saldo final, acho que as cenas estão condizentes com o filme, tanto que eu, um chato com isso, não achou a pior coisa do mundo. Claro que, muita gente criticou porque tá de birra com o filme, só que esses mesmo que fosse o melhor CGI da história, você não agradaria.

Conclusão

Bom, eu realmente gostei muito do filme. Não mudou meu top 5 e provavelmente nem o top 10, mas a sensação boa que ele me passou. Eu não estava pensando só em review e coisas do tipo, eu realmente aproveitei o momento e ri do que tinha que rir. Não foi a mesma coisa que Guerra Infinita ou até mesmo o Spiderverse que eu dei 10 aqui no site, mas foi uma sensação de "Mano, isso é interessante".

Eu não vou separar o filme em "públicos alvos" dessa vez, pois eu recomendo que todos vão assistir, para tirarem suas conclusões. Reviews são legais e são boas para vocês verem pontos diferentes de uma discussão, porém, por mais que sites aí digam que o seu é um VEREDITO, análises não passam de opiniões parciais de pessoas que realmente querem passar ao seu público o que acham daquela obra, tanto que muitos pulam direto para a nota e o texto é vazio ou cheio de termos imbecis para fingirem conteúdo.

Muito do meu problema em escrever o texto era colocá-lo de forma que não "doutrinasse" ninguém a ficar de papagaio do que eu falo, então aqui está. Mais claro e direto que isso, só se eu remontar o filme sem as partes que eu não gostei, e tempo é algo que eu não tenho.

E um recado aos que estão discutindo sobre o filme: Discutam sim, e muito se acharem necessário, mas assistam ao filme antes, principalmente se sua opinião for negativa (e baseada em review de gente que só cria flame war). A internet já é um inferno por si só, não precisa transformar sua má vontade de ir ao cinema em pauta quase política na internet.

Enfim, minha recomendação continua. Tirem suas dúvidas indo ao cinema, não fiquem reféns de canal X, Y ou Z. O dinheiro é seu, e no final, é você quem decide se ele foi bem gasto ou não.



Crítica: Capitã Marvel (COM SPOILERS) Crítica: Capitã Marvel (COM SPOILERS) Reviewed by Jeferson Nunes on março 13, 2019 Rating: 5

Nenhum comentário