Crítica: Demolidor - 1ª Temporada (2015)


A primeira temporada de Demolidor surpreendeu o mundo. Depois do fiasco que foi o filme estrelado por Ben Affleck, não se esperava tanto um produto tão bom como a série que a Netflix produziu.

A série foi um sucesso em todo o mundo, popularizou bastante desde então e engatou uma série de produções originais da Netflix baseado nos quadrinhos da Marvel Comics. Todas essas interligadas até a união dos heróis na série Defensores do ano passado.

Só que tudo começou em Demolidor. A série dividida em 13 capítulos tem uma pegada muito diferente dos filmes do MCU.

Para começar, a utilização de CGI é mínima, quase sempre somos agraciados com cenários reais, combinando perfeitamente com o estilo das aventuras do herói.

Demolidor é um herói solitário, mesmo com amigos e o trabalho em volta, Matt Murdock é solitário. Advogado, vive nas ruas de Nova York, é muito católico e tem um passado traumatizante, sem falar é claro da sua cegueira.



Não fazia muito sentido encher a tela de CGI, era necessário trazer a realidade para o universo criado pela Marvel, sem esquecer é claro de referências à filmes, quadrinhos...

Mesmo sendo uma série paralela, há alguns easter eggs referentes ao primeiro Vingadores, na verdade, a série inteira mostra muito de todos os resultados da catástrofe que  Nova York  quase sofreu.

Construtoras com enriquecimento ilícito, crime organizado tomando conta de uma cidade em crise e o surgimento de justiceiros. Demolidor está envolto a esses e vários outros fatores.

O Demolidor é um justiceiro noturno, apanha pra caralho e sempre está em algum beco escuro levando uma surra igual o Seiya. A ambientação de Hell's Kitchen juntamente com os atos do justiceiro mascarado deixa a série bem sombria, lembrando muito até o Cavaleiro das Trevas, obra-prima que Nolan lançou em 2008.

Eu gostei demais dessa "Marvel Sombria" destoa um pouco do MCU, tirando um pouco da zona de conforto, e sem parecer tosco.

A série tem muita ação, só que totalmente diferente dos tradicionais filmes de super-herói. A maior parte das cenas de luta as pessoas precisam ter um estômago forte. Há muito sangue, dando um realismo nos combates e na vulnerabilidade do protagonista em relação aos inimigos.

A história é bem interessante, contada por meio de flashbacks dos personagens principais. Nos mostram as motivações e todo o passado traumático de cada um e como fizeram para superar.

Isso nos remete ao vilão, Wilson Fisk: Ameaçador, cruel e tenta na maior parte do tempo ser frio. Um clássico vilão de boas intenções no papel, mas não mede esforços para conseguir terminar a sua missão.



Junto a ele, o surpreendente aliado Wesley, que eu gostei muito desse personagem. Ele é muito leal ao seu chefe, muito mais que isso, realmente amigo de Fisk. O mesmo Rei do Crime assume isso. A relação dos dois é excelente.

O arco dos antagonistas é interessante pela pluralidade de pessoas e objetivos. Quase como um "conglomerado do crime", temos os Russos com seu tráfico humano, uma construtora que paga propina e movimenta o dinheiro entre outros. São muitos conflitos para serem resolvidos.

Todos eles em 13 episódios, quantidade que me pareceu ideal para se resolver tudo. Só achei que alguns arcos foram resolvidos lentos demais e outros um tanto rápidos. Principalmente no final, quando temos o embate final entre Wilson Fisk, Matt e seus amigos.

Todos em volta de Matt Murdock são bons personagens, só que Foggy Nelson se destaca. Melhor amigo de Matt, é o mais próximo que temos de alívio cômico para a série, que acredite: é muito dramática.

Drama que já notamos na abertura, que é impactante.  E a música tema é reproduzida das maneiras mais diferentes possíveis. Se tornando marcante, acertaram na trilha sonora, que não é a mais memorável de todos os tempos, mas é muito boa.

Conclusão

O que temos é uma grande série. Dramática, excelentes personagens bem explorados pelo roteiro que foi muito bem escrito. Ótimas sequências de ação, muito inspiradas por sinal, e extremamente violentas também. 

A primeira temporada de Demolidor é uma das minhas séries favoritas (tanto que vi 3 vezes) e não é por acaso. Que bom que a netflix renovou a série e teremos mais aventuras do advogado cego que combate o crime em Hell's Kitchen.


Crítica: Demolidor - 1ª Temporada (2015) Crítica: Demolidor - 1ª Temporada (2015) Reviewed by Adao Filho on agosto 08, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário